Crise de meia idade na era do download...


Estes dias caiu na minha mão um artigo muito bacana, via o  portal Wiplash, que tem sido nestes anos, uma fonte muito legal de informação sobre o meio roqueiro.

O artigo em questão http://whiplash.net/materias/news_838/157586.html, analisa de uma maneira muito lúcida, o ambiente em que a produção musical esta inserida e como este mercado, baseado em plataformas digitais não conseguiu ,literalmente( me perdoem a eventual ironia...) fechar a conta e gerar receita efetiva para artistas.

Muitos já levantam a voz contra, no fundo no fundo, para esconder a “mea culpa”em baixar tanta música.

Mas quem convive e está inserido na indústria e mercado, sabe que vivemos tempos extremamente voláteis onde os paradigmas  ruíram, e para ser sincero, comemorar  isto, vira um discurso pseudo-bolchevista, pois até onde sei, não inventaram nada melhor para se por no lugar ; permanece a máxima de que os Tubarões se mantém dentando aonde podem  e parafraseando Bukowski, : “a raia miúda sempre se fode”.

A Internet, deu voz e alcance a todos, o que para ser bem sincero, nem sempre é uma boa, pois as referências e filtros vão para a casa do chapéu e se constrói uma cultura com estética rasa.

Cheguei a ter atritos com um aluno, quando o mesmo afirmou que baixava as musicas do Jason Becker e não   “estava nem ai” para a situação trágica do mesmo e como ele dependia  da venda dos direitos de seus Cds e fonogramas.

Ainda na pauta Jason Becker, tive uma coluna vetada  num site  pois nela  questionava os rumos do mercado, exemplificando o triste fato do Becker estar vendendo seu Plexi de estimação por questões financeiras; o argumento dos editores  foi que estava  mostrando só o lado baixo astral da revolução digital.

Paradoxalmente o Jason é capa deste mês da Guitar Player Americana , sem duvida pelo fato de sua obra estar disseminada na web.

Como isto tudo vai gerar receita para o Becker é um mistério que rezo se solucionar pois o próprio diz (nesta mesma entrevista) que não é remunerado pela sua função principal na vida, que é a de compositor.

Achar solução ,analisar  e prospectar situação de ganho é obrigação para se manter a lucidez e força vital, na guerra ou na paz; porém  achar uma baliza  e estabelecer os caminhos que nossa musica ira conseguir ter redundância e remuneração no mercado é uma loooooonggaaaaaaa discussão.

Bem vindos a crise de meia idade do meio digital!


Nenhum comentário: