Crônicas de São Paulo...

Olhar o passado surte um efeito similar a abrir o refrigerador e verificar a data de validade da maionese. Seguindo esta lógica, aniversários são datas que carregam na sua essência muito desta melancólica nostalgia.

O aniversário de São Paulo possui para nós habitantes apaixonados por esta cidade uma carga emocional grande onde lembranças se fundem ao concreto, asfalto, sangue suor e lagrimas.

Quem não tem fotografias emocionais marcantes ,embutidas dentro de cenas cotidianas; caminhar pela Avenida Paulista inteira, apenas para observar a fauna urbana local(da qual faz parte) e “ressetar o hd mental”, olhar a torre de TV iluminada por varias cores que assemelha a um drops de frutas de nossa distante infância, ( e pedir auxílio rezando para este “toten” no meio de uma crise e dilema emocional fodido),cafés sendo sorvidos dentro da esterilidade emocional anestésica de qualquer Shopping Center observando a orgia de futilidades que se tornou a espécime humana, passar pelos lugares onde palcos que significaram tanto não existem mais(que ecoem por lá ainda os fantasmas do Black Jack em Santo Amaro, do Vitoria na Alameda Lorena e do Aeroanta no Largo da Batata), o prédio do Cursinho no metrô Sta Cruz que está para alugar, este sim palco de memoráveis porres as sete da manhã onde decidi ser músico, o Colégio onde estudei que amava detestar, palco de meus primeiros shows onde joguei uma strato no chão pela primeira vêz, a Liberdade e seu ar de mistério e densidade muito antes de virar moda, as bancas de jornais e frutas ,sempre abertas para nossa fome física e de informação, a zona Leste, com seu povo acolhedor sempre com casas e corações abertos, os ensaios regulares na Pompéia, berço do Rock Paulista, onde tive meu batismo de guerra com direito a saudades de shows memoráveis em suas feiras culturais, seja na chuva ou no por do sol.....

Por falar em por do sol, como tem mudado de cor do fim de cada dia aqui em Sampa, do rosado olhos das Deusas antigas cheios e poesia e esperança, se distancia agora para um cinza triste e neurótico

Neurose que parece tomar conta cada vez mais de nossa psique, como podemos verificar pelo transito, onde cada um assume ar e graça de guerreiro do asfalto, jogando seu bólido no carro alheio, inspirado pelas cenas de épicos como Mad Max e Velozes e Furiosos....

Uma vez li alguma atriz citar que em São Paulo, você entra bife e sai moído como: hamburguer,bolinho,croquete,kafta, etc etc e tal;é assim a dinâmica de vida em nossa Blade Runner Tropical... ame, deteste,xingue,chore,ria mas é foda de deixar....

Por que cargas d´agua, meu avo saiu da Calábria e veio para cá na mesma época que meu outro avô saiu do Japão, sabe-se lá...Karma, destino ou que catsu....???????

Parabéns Sampa!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Te amo!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Brigadu!!!!!!!!!!!!!!!!!!
Oka 25/01/09 23:10 P.M.

Nenhum comentário: