Meu dia de Ringo Starr...

Um de meus maiores patrimônios é receber o afeto e respeito da galera, fã da guitarra e de sua música.

Tenho o maior prazer e honra em conversar, tirar foto, dar palheta para qualquer garoto que venha conversar.

Tenho um puta carinho e respeito por este amigos que as vezes não conheço pessoalmente mas possuem ,de minha parte, o mesmo apreço que qualquer outro que conheço desde a infância.

Se fosse rock star jogaria guitarras em finais de shows,pois devo tudo a esta galera bacana que me prestigia.

Mas, porém todavia e contudo, existe um tipo de e mail , que faço a maior questão em não responder e venho através deste espaço esclarecer o porque , e através desta declaração mostra caminhos para termos uma cena mais madura.

Toda vêz que alguém me pergunta (na cara dura) qual a função de um acorde, uma análise de progressão harmônica, ou como palhetar mais rápido,mandar material de graça, consegue despertar na minha pessoa uma sensação agridoce, onde me sinto honrado por me classificarem como uma pessoa capaz ,mas por outro lado extremamente puto.

A putice da questão reside na seguinte equação: dependo deste meu conhecimento de acordes ,escalas e palhetadas para sobreviver, ou seja, pagar luz,condomínio,convênios médicos, IPTU,ISS, seguro do carro, gasolina, vacinas ,e médico da minha filha, cordas das guitarras, etc, etc etc , etc, etc e tal....

Você iria ao posto de gasolina , colocaria gasolina no carro e depois vazaria na maior cara de pau?

Segue também a máxima do aluno que num corredor do EM&T perguntou na maior cara de pau para outro se “tinha o Cd do Okayama para copiar”, sem perceber que eu estava logo atrás dele...

Porquê o músico tem que sempre ter a fama de relógio(que trabalha de graça).

O fato é que tem muiiiiitaaaaaaa gente aqui pelos mares da rede tem mostrado “informação” por puro alpininsmos guitarrístico/social.

Toda vêz que subo num palco, vou começar uma semana de aulas, vou gravar, faço um sinal da cruz e peço a Providência que faça com que meu humilde trabalho possa ser útil paras as pessoas....

Quem é aluno meu, já teve aulas comigo ou um contato mais próximo, sabe que já “vooei” em condições muito desfavoráveis, sejam físicas, pessoais, mentais ou qualquer uma ; chegando ao ponto de enterrar a minha avó e ir direto dar aulas.

Sempre vou respeitar, trocar idéias com todos estes meus amigos e fãs, mas sinto me obrigado a esclarecer esta minha postura nos e mails e Orkut, para que acima de tudo possamos criar uma cena musical mais respeitosa e profissional


Grande abraço
Oka

2 comentários:

Will disse...

Parabéns pelo texto Márcio. Sei bem como é isso. Na minha profissão rola muito disso também. Faço minhas suas palavras.
Abraço!

Willians

Alien groove disse...

Sensacional!!!

Rodrigo Ribeiro